Arquivo do mês: fevereiro 2009

Transcendência

Nem sempre o amor é demonstrado como queríamos que fosse. Por incrível que pareça, ele pode surgir algumas vezes em forma de ódio. Em outras, ele aparece como amizade, que é uma circunstância do amor, daí não causa tanta surpresa. O amigo, às vezes, se transcende no amor platônico e, com o decorrer do tempo pode ou não se transformar em amor.

Mas o grande amor floresce no primeiro olhar. O brilho dos olhos no primeiro olhar traz mensagens enigmáticas, que só o tempo pode explicar. O amor à primeira vista, quando colocado de maneira simplicista, nada mais é que um amor profundo, vindo de outras vidas, de outros encontros, de outros delírios, de descaminhos cruzados pela necessidade do encontro. Esse grande amor surge programado pela fascinação do passado, pelo encantamento do presente e pelo entardecer da eternidade.

Eu te amo! É fácil dizer e escrever!

Eu te amo, meu amor! Já existe a transcendência de alguns encontros.

Eu te amo, meu amor, para toda a eternidade! Esse é realmente o grande amor.

Meu grande amor, apesar do pouco tempo de conhecimento, os teus olhos me ensinaram uma maneira de te olhar, de te ouvir, com a tua voz tão doce, suave, no tom certo de ouvir e fantasiar mil pensamentos. Um deles está sendo feito agora: uma homenagem a tua beleza interna e externa. Quanto aos outros pensamentos, deixa pra lá! Um dia o tempo vai te responder!

Meu amor! Minha amiga! Minha querida!

O nosso encontro não demorou muito tempo para acontecer. E quando aconteceu, alguns sonhos já estavam sendo sonhados. Nenhuma pedra estava no caminho. Parecia que tudo estava preparado, programado para o nosso encontro. Nós sabíamos que a vida é cheia de caminhos e os caminhos são cheios de atalhos. E com todas as verdades da vida nós aprendemos a viver, vivendo. Os obstáculos se tornaram inevitáveis. Mas aprendemos a lutar pela vida e pelo nosso amor.

 

Mario Lucio – cronista, poeta e bibliófilo.

Anúncios

Você e o sonho

O sonho não acabou!
John Lennon

Alguém te disse, em alguma ocasião, que te admirava mais do que eu?
Não é preciso dizer!
Como nunca foi preciso dizer!
A certeza como a verdade são absolutas.
Nunca ninguém te falou.
Você surgiu num raio de luz em plena tempestade.
Você é dona de todos os elogios,
De todos os adjetivos.
Você é o delírio de todas as fantasias.
Que alguém pode ter por você.
Você vai além do sonho!
Você vai além da imaginação!
Você é a própria fascinação.
Você é a fascinação que gostaríamos de ter!
Sem ser preciso sonhar.
Ou se sonhar?
Sonhar acordado.
Você é a materialização da perfeição em todas as nuances.
Você é linda!
Você é bela!
Você é o encontro e a despedida.
O espelho não existe para você,
Pois você reconhece a sua perfeição.
Você tem o poder de magnetizar os olhos de quem a vêem.
Você está acima dos paradigmas da vida.
É maravilhoso viver e conviver com você.
Admiração leva admiração.
Ser admirada é o seu princípio básico,
Na evolução da mulher que sabe ser mulher,
Encantadora!
Com gostos e querências mais acentuados,
Demonstrando que nada mais é que um sonho ou devaneio.
É a pura realidade.
Você é linda e vai continuar linda.
Pelo tempo que a eternidade dirá.
Ultrapassando os limites de ser mulher!

 

Mario Lucio – cronista, poeta e bibliófilo.

Olhar

AMOR ESPIRITUAL


Olhe nos meus olhos e você vai ver o que você representa pra mim.
Procure no seu coração, procure na sua alma e quando você me achar lá,
Você não irá procurar mais ninguém e, não me diga depois que não valeu a pena tentar.
Você sabe que isso é verdade; tudo que eu faço, eu faço por você.
Olhe no seu coração, você irá descobrir, não tem nada lá para esconder.
Me aceite como eu sou. Aceite a minha vida.
Eu daria isso tudo, eu me sacrificaria.
Não me diga que não vale a pena lutar.
Lutar por você!
Eu não posso evitar, não existe nada que eu queira mais.
Você sabe que isso é verdade, tudo que eu faço, eu faço por você.
Não existe amor como o seu amor;
E ninguém mais poderia dar mais amor que você.
Não tem lugar, não tem tempo, não tem caminho
Em que você não esteja lá.
Por todo o tempo, por todo caminho
Olhe sempre pra dentro do seu coração.
Nunca olhe para trás com raiva, pois o amor supera todos os dissabores,
Todas as desavenças.
Tanto que, semelhantes atraem semelhantes, e você é o meu complemento de vida.
Assim como eu sou e serei sempre o seu complemento,
Para formarmos uma só pessoa.

 

Mario Lucio – cronista, poeta e bibliófilo.

Plantar e colher

NÃO BASTA TER O CONHECIMENTO; É MAIS IMPORTANTE, SER O CONHECIMENTO!

Sempre que possível podermos escolher aquilo que semeamos, mas com toda certeza somos obrigados a colher tudo aquilo que plantamos, independente do sol ou da chuva. A vida tem pressa e, não podemos ignorar o que se passa em nossa frente. Se nós estamos vivos, algum motivo está nos provando, que é preciso viver para saldar as nossas dívidas. O merecimento é a principal causa da própria vida.

Diz o dito popular: que quem planta vento, colhe tempestade. Dessa maneira é interpretada a vida que vivemos. Se nós plantamos o amor, a amizade, a humildade e a misericórdia, nós vamos colher ao quadrado todos os sentidos da vida. A orientação é uma só. Fazer o Bem! E não esperar uma resposta imediata; é bem melhor nem esperar nada, pois fazer o bem é uma obrigação nossa e não uma mercadoria de troca ou favores concebidos.

Sim! Vamos plantar. Colher. Semear tudo aquilo que está latente dentro de nosso coração, esperando o momento certo de mais uma vez fazer o bem. São pragmáticas as respostas do tempo. Tudo tem a hora certa para acontecer, se ainda não aconteceu é porque não chegou a hora de acontecer. Mas em hipótese alguma podemos ficar esperando que tudo aconteça, pois o momento faz a hora do acerto de contas com a própria humanidade que nos cerca. E não basta apenas semear através da palavra, temos de partir para a ação, pois são as obras que convertem o mundo.

“Hoje pregam-se palavras e pensamentos, antigamente pregavam-se palavras e obras. Palavras sem obras são tiros sem balas; faz barulho, apenas barulho. O pregar que é falar, faz-se com a boca; o pregar que é semear faz-se com a mão. Para falar ao vento, bastam palavras; para falar ao coração, são necessárias obras”. Padre Antônio Vieira

A vida, como a fome, tem pressa e nós não podemos aquietar-nos em ver a vida passar e a fome matar. As curvas do rio não foram criadas ao acaso e sim para ambientar pontos geográficos equidistantes, se o curso de um canal ou um rio tem essa potencialização, por que nós não poderemos ter? Adubar duas plantas. Absorver mais amizades. Nunca poderemos esquecer-nos de molhar a plantinha da amizade.

Mario Lucio – cronista, poeta e bibliófilo.